As inflamações no fígado, independente das causas, são chamadas de hepatites. As mais conhecidas são as hepatites virais A, B, C e D, porém, além de outras formas viriais, algumas hepatites podem ser bacterianas, causadas por distúrbios de imunidade ou do metabolismo, ou ainda, por substâncias tóxicas.

É muito comum que pessoas portadoras de hepatites não apresentem nenhum sintoma, por isso, a consulta a um médico especializado e a realização de exames são essenciais para o diagnóstico precoce, capaz de evitar complicações.
Prevenção
Outro fator importante, relacionado às hepatites virais, é a prevenção. Como a hepatite A é transmitida por alimentos e pelo contato pessoal, a higiene é o principal meio de prevenção: lavar bem as mãos após ir ao banheiro e antes de comer, lavar bem alimentos que serão consumidos crus e cozinhar bem os demais, principalmente frutos do mar e carne de porco. Já as demais hepatites virais são transmitidas pelo sangue, por isso, é importante não compartilhar objetos de uso pessoal, como giletes, escovas de dentes, utensílios de manicure, além de utilizar preservativos durante as relações sexuais, e ter certeza de que materiais utilizados para fazer tatuagens e para a colocação de piercings são descartáveis.
Vacinas também fazem parte das ações para prevenção das hepatite A e B. Nas crianças, primeira dose da vacina de hepatite B é dada ao nascer, sendo repetida aos 2 e aos 6 meses. Já a vacina para hepatite A é aplicada quando a criança completa 1 ano, e o reforço ocorre com 18 meses. No caso de adultos, é preciso tomar as 3 doses de hepatite B e as duas de hepatite A para que a vacinação possa ser considerada completa. É possível, ainda, tomar a vacina combinada de hepatite A e B.

Fonte: hepatitesvirais.com.br

Voltar
Conheça a ferramenta do POW internet para criação de sites Institucionais e E-commerce